APOIE-NOS

Gratidão família, amigos, alunos e parceiros é através do vosso suporte que continuamos buscando novos caminhos para estarmos conectados e transformando através da dança.

 

Nos ajude a continuar fazendo arte, apoie nosso trabalho. Venha fazer parte da nossa caminhada empreendedora.

IMG_6768.jpg
 
cia.jpg

CORPUS ENTRE MUNDOS

Em Maio de 2013 dentro do circuito acadêmico da escola e Faculdade Angel Vianna, surge uma oportunidade para o Angolano Bailarino / Coreógrafo Dilo Paulo criar um espetáculo de dança para ocupar o Teatro Princesa Isabel no Rio de Janeiro. E essa oportunidade serviu de alicerce para reunir vários Bailarinos de Angola, Brasil, Suíça, Austrália em uma incrível colaboração.
Inspirando na criação de um espetáculo de dança e posteriormente na criação da
Cia Corpus Entre Mundos
Inicialmente inspirada nas vivencias do Dilo Paulo na forma de dança Hiphop, Kuduro, Afro, e na Linguagem que surgiu quando o treinamento de Hip Hop, Kuduro, Afro do Dilo encontrou a dança contemporânea, um desejo começou a nascer, desejo de aprender, criar pesquisar as possibilidades de movimento a diversidade dos corpos na dança através da colaboração com pessoas apaixonadas pelas diferentes formas de arte. 

  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco
 
 
_DSC6901.jpg

AGENDA

01

BREVEMENTE

02

BREVEMENTE

03

BREVEMENTE

04

BREVEMENTE

Blue and Orange Woman Photo Hip & Vibran
 

ESPETÁCULOS

MUXIMA

O espetáculo trás para o palco um recorte da história de Angola, Muxima. Um pensamento, um movimento, um ato de reflexão sobre a nossa trajetória e os caminhos que percorremos para realizarmos os nossos desejos. 

Muxima significa coração no dialeto Kimbundu, umas das línguas tradicionais angolana e também é o nome da Nossa Senhora da Conceição de Angola. 

O espetáculo de dança Muxima fala sobre a importância da valorização de suas origens, de não perder sua singularidade e de acreditar no seu coração. É o conto da sua história. É o seu caminho!! 

MUHATU

Muhatu palavra em Kimbundo ( um dos dialetos mais falado em Angola) que significa mulher. Mas o que é ser mulher??

 

Na busca por essa resposta começamos a pensar no feminino do mundo, e como esse feminino gera, cria, transforma e morre. Como cada um de nós temos um feminino e como lidamos com ele.

 

" Nascemos, crescemos, amamos, vivemos, ensinamos, perdemos, lutamos na garra, para nunca pararmos de gerar vida, gerar amor, gerar dor, gerar mundo. Mulher, Muhatu!!"

ENTRE MUNDOS

 
CEM LOGO.jpeg

CONTATO